Suas propostas foram carregadas Copa do Mundo na coluna dele Banqueiro para apostas longas _______ Hacker: Lucro (+ 1,483.85) Produção (7.2%) ______ Aposta na Ásia: Lucro (+ 578) Produção (18.06%) ______ Partida diária: Lucro (+ 8.39) Produção (% 14.98)

Tempo ... mundial !

Últimos artigos

Talvez a melhor Copa do Mundo de todos os tempos comece. O fato de acontecer no inverno e encontrar jogadores e times no auge de sua forma é motivo para acreditar que podemos ver o melhor futebol que já vimos em uma copa do mundo e o maior número de gols já marcados na fase final de tal competição. Nos próximos dias e até ao meio-dia vamos analisar os 32 finalistas, ver quem são as suas grandes estrelas ou grandes ausentes, os seus treinadores e a sua forma. O que podemos esperar de cada um deles?

GRUPO A:

O grupo tem um grande favorito. Os Países Baixos. E questionar como e por quem este título? Particularmente fortes são os outros três candidatos aos desafios, com Equador e Senegal conquistando pelo menos a segunda posição na qualificação no papel. O Catar será o milagre absoluto se não tiver um papel totalmente coadjuvante.

Catar

Treinado pelo irreconhecível espanhol Felix Sanchez Bas e todos os seus jogadores que competem no campeonato nacional, ou seja, com pouca experiência e quase zero atuações pelo futebol internacional nos últimos anos. Esta equipe do Catar não consegue convencer que seria possível reivindicar outra coisa senão a estreia na fase final. Sua estrela e artilheiro é Almoez Ali, de 26 anos (85/42). É claro que, como organizadora, ela não participou das eliminatórias, apenas jogou em amistosos e venceu adversários particularmente fracos (Panamá, Honduras, Guatemala, Nicarágua, Albânia, etc.).

Equador

Quem manda na liderança técnica é o argentino Gustavo Alfaro. O fato de ter participado do sempre quente grupo sul-americano ao lado de Argentina, Brasil, Uruguai, Colômbia e outros já diz tudo. Invicto em amistosos de pré-temporada, tendo vencido a Nigéria e empatado com adversários medíocres (Arábia Saudita, Iraque, Japão). Renovou o seu plantel no qual se destacam Arboleda do São Paulo e Estrada do Cruz Azul (primeiro marcador com 8 golos), mas também as suas estrelas, o jovem Caicedo do Brighton e o recordista de participações Valência (35 golos).

Senegal

Aliou Cisse comandando da linha lateral trouxe calma e sucesso ao vestiário do Senegal. Que em 2022 contabiliza apenas duas derrotas, do Egito e Zâmbia em março e julho, respectivamente. Fora isso só vitórias e empates (6 em ​​número). Não tem grandes ausências para lidar com o experiente federal que certamente aposta muito na grande estrela do time e um dos melhores atacantes regionais do mundo, Sadio Mané (34 gols). Está também ladeado por grandes nomes do futebol europeu, como o seu capitão, o médio Gueye (95/7) do Everton e o lateral do Mónaco. Pape Cisse, defesa do Olympiakos, também está presente na missão.

Holanda

"bad Lou", o conhecido e não tão grande Louis van Gaal, tem a sorte de treinar uma equipe perfeitamente equilibrada que desta vez está de cabeça baixa, ao contrário das grandes competições anteriores, onde muitos esperavam muito dos holandeses e isso custou Agora eles são um azarão sólido, mas um azarão perfeitamente capaz de alcançar mais do que qualquer outro time Tulip nas últimas décadas. Tem um ano e meio a perder, desde o 0-2 frente à República Checa em junho de 2021 no último Euro.

GRUPO B:

Inglaterra

É claro que as rédeas dos "leões" ainda estão nas mãos de seu treinador de maior sucesso nas últimas décadas, Gareth Southgate. E já que "está voltando para casa" chegaram agora dos líderes permanentes do futebol europeu para serem considerados como uma equipe que pode estar entre as favoritas à distinção na copa do mundo. Que deve ser um dos favoritos pelo que lancei nas últimas competições pelo menos. Nas últimas partidas, nem tudo deu certo para a Inglaterra, que não vence desde o amistoso de março com a Costa do Marfim por 3 a 0. E seis partidas da Liga das Nações se seguiram com um recorde de 0-3-3 e 4-10 gols. Ele entra na Copa do Mundo sem um amistoso, mas também sem problemas graves. Liderar, é claro, o furacão de 512 gols Harry Kane com o meio-campista do Liverpool Henderson como seu vice-capitão.

País de Gales

E se os ingleses têm na frente Kane, outro representante do Reino Unido, o País de Gales joga na fase final do grande torneio o outro jogador das Ilhas Britânicas nos últimos 10 anos, Gareth Bale. Que agora pode ganhar a vida nos Estados Unidos, mas com 40 gols e seu vice-capitão Aaron Ramsey com 20 são um problema sério para qualquer defesa adversária. O técnico Rob Page viu seu time nas últimas cinco partidas, aquelas pelo campeonato das nações, somar quatro derrotas e um empate e a última vitória foi contra a Ucrânia nas eliminatórias para a Copa do Mundo.

EUA

A terceira equipa anglófona do grupo, os primos do outro lado do Atlântico, tem Greg Burholter no banco. Perdeu 3-4 jogadores desde a fase final do Mundial devido a lesões e isso altera os seus planos mas também baixa claramente as expectativas, já que eram jogadores com papel e potencial em alguns casos de jovens craques da equipa principal. Os laterais Cannon, Paredes, Robinson e Lennon foram eliminados, assim como o meio-campista Djordje Mihajlovic, enquanto o atacante Ariola (10 gols) também foi suspenso. Os grandes nomes da equipa atual são, claro, Pulisic (52/21), mas também Morris (49/11), Acosta (médio, 53/2), McKenney (37/9).

Irã

Um grupo cheio de protestantes completa a loja teocrática muçulmana do Oriente Médio, Irã. Mas as religiões não entram em jogo aqui, a bola entra em jogo aqui. E em termos puramente futebolísticos, viram-no como o parceiro mais provável deste quarteto. Nosso familiar galo e rosa estão no banco. O português perdeu apenas dois jogos no ano passado e levará sua equipe à sua segunda participação na Copa do Mundo. Nos quatro amistosos que o Irã disputou para sua preparação, perdeu apenas para a Argélia por 1 a 2, enquanto venceu Nicarágua e Uruguai pelo mesmo placar de 1 a 0 e empatou em 1 a 1 com o Senegal. A sua carta mais forte é o médio Alireza do Feyenoord (64/13) e o seu melhor marcador a artilharia pesada de 41 golos, Azmoun do Leverkusen com o seu companheiro Taremi do Porto (28 golos) e... o nosso próprio Ansarifard do Omonia (29 golos ).

GRUPO C:

Em um grupo que inclui a Argentina, qualquer conversa sobre favoritos à qualificação é certamente sobre o segundo lugar no ranking. Mas quem pode acompanhar Messi e sua companhia na próxima fase?

Argentina

Todos consideram a Argentina uma das favoritas. Outros apontam-no como favorito absoluto ao título, outros simplesmente como uma das fortes equipas que vão conseguir conquistar o troféu e certamente a distinção. O ex-craque da La Coruña, Leo Scaloni, é o chefe no banco de reservas da Argentina, que certamente tem um líder supremo dentro e fora do campo. Lionel Messi. No último Mundial da sua longa carreira, um dos melhores futebolistas do mundo e para muitos um dos melhores de todos os tempos, vai procurar de uma vez por todas exorcizar o demónio da sua falta de presenças na seleção. Obviamente, aqueles que pensam que ao vencer uma Copa América ele conseguiu, são ignorantes. Messi deposita todas as suas esperanças de aclamação nacional na história do futebol no Catar. E em sua busca pelo sucesso, ele não está sozinho. Di Maria, Dybala, Lautaro Martinez em grande forma, Paredes, de Paul no meio-campo e os incansáveis ​​Otamendi, Tagliafico, Acuña na defesa realmente dão a impressão de que os "Pambas" estão mais completos do que nunca e um grande favorito.

Arábia Saudita

Com Evre Renard no banco, a Arábia Saudita vai para o vizinho Catar. Que em relação a qualquer outro time de menor capacidade, tem uma vantagem enorme. Quando todas as equipes do torneio lutam para se adaptar às condições climáticas da região, umidade, grandes variações de temperatura e outras curiosidades do deserto, para os sauditas será... tarde de quarta-feira. Totalmente familiarizado com as condições que encontrarão, mas também com seis experiências em copas do mundo nos últimos 28 anos. Com a última anterior, a de 2018, onde conquistou uma vitória, por 1-0, no Egito. Estrelas? Digamos como se destaca Salem Al Dausari com um registo de 70/17 na seleção nacional. Fora isso, apenas jogadores de roller que jogam dentro das fronteiras. O facto de ter 18 Under consecutivos (!), é um paradoxo das apostas que merece atenção.

Polônia

Czeslaw Michniewicz tem uma grande tarefa a cumprir na seleção polonesa. Ele tem que dar 101% de sua grande estrela, Lewandowski, mas também tem que encontrar soluções em sua ausência, para se preparar para o dia seguinte, quando "Leva" partir. E não é fácil, quando o ex-craque do Bayern e atual artilheiro do Barcelona é um show de um homem só há anos. Mas ele é o único... grande demais para uma bola? Chesny, Skorupski, Djedrejczyk, Glik, Berezinski, Krykowiak, Grosicki também têm mais de 30 anos, mas apenas dois deles são goleiros. Felizmente para eles, o torneio não é o fim da temporada.

México

O México de Gerardo Martino é um caso curioso. Ela sempre, quase sempre comparece aos grandes torneios. Mas ela nunca, ou quase nunca, conseguiu se destacar. No entanto, é preciso reconhecer no México que, junto com o Brasil, são as únicas seleções que passaram da fase de grupos em cada uma das últimas sete competições. Ninguém ficou de fora tão cedo. Mas sua melhor colocação é a oitava, que conquistou apenas duas vezes desde 94, quando disputou uma série na fase final da Copa do Mundo. Este ano quer fazer pelo menos o mesmo percurso e aposta na forte defesa que a seleção argentina montou para os "sombreros". Em que Raul Jimenez, do Wolves, é protagonista, com 29 gols em 94 partidas. Líder e ídolo nacional absoluto, Andrés Guardado (Betis), de 36 anos, soma 177 internacionalizações e 28 golos. Pineda, do AEK, também joga bola no Catar com as cores do México, claro.

GRUPO D:

E como acima há o Argentina e os demais, no XNUMXº grupo o feijão é a França e os demais. Porque não se vê como dois da Tunísia, Austrália ou Dinamarca farão o milagre.

França

Com a coroa do último Mundial na cabeça e Mbappé pronto para reafirmar porque é considerado o melhor jogador do mundo no momento, os tricolores iniciam o torneio como um dos 2 a 3 favoritos absolutos à conquista do troféu . Claro que tem perdas. Dois ou três nomes fortíssimos em que muita gente e técnicos apostavam não chegaram à equipa devido a lesões. Primeiro de tudo, Kade, é claro, mas também Kibebe, que estava em uma missão e foi cortado ontem. E Boubacar Kamara e Lucas Digne. Mas ainda há atacantes como Benzema, Giroud, Griezmann, Encuncu ao lado de Bape, Coman, Kamavinga, Tswameni, Rabiot no meio-campo entre outros, mas também zagueiros bronze como Varane, Lucas Hernandez, Konate, Pavard. E como você pode ignorar esse grupo?

Dinamarca

Sempre forasteiros e sempre quase a enlouquecer com as suas exibições, os dinamarqueses têm no banco Kasper Hulmant, um técnico pouco conhecido que apenas deixou credenciais com a Norgeland e um ano no alemão Mainz não foi justificado pelos resultados. O líder da Dinamarca, o homem por quem todo o planeta chorou quando, no meio de uma partida pela Euro, perdeu a consciência e lutou pela vida devido a um problema cardíaco não diagnosticado. Agora 100% saudável, ele se posiciona perfeitamente no meio-campo de um time que se destaca por isso. Pelo que é uma equipa e não baseada apenas no talento individual. No entanto, há jogadores com carreira longa e sucessos a nível individual e coletivo, como os avançados Poulsen e Braithwaite ou mesmo Kasper Dolberg. Mas também Delaney do Sevilla, claro Hoibierg do Tottenham e os zagueiros Kjaer, Mele ou o goleiro Schmeichel (agora no Nice).

Tunísia

Um dos três países semi-europeus da África, a Tunísia. É assim que eles dizem, como joga mais ou menos europeu, como a Argélia até certo ponto e o Egito. A Tunísia, com bons nomes e Jalel Kadri no banco, quer ir mais longe, afinal, foi a primeira seleção africana a vencer uma Copa do Mundo, na época, em 1978, com vitória por 1 a 0 sobre o México. Ela quer ser a primeira a fazer o curso dos sonhos e se destacar mais do que qualquer outra no passado. Mas a garota da loteria não foi exatamente gentil com ela. No entanto, com nomes como Khazri de Montpellier, Djebali de Odense, Skerry de Colônia e Ben Slimane de Brodby, ele certamente lutará com unhas e dentes em todas as partidas. com eles e nosso próprio Kehrida, de Atromitos.

Austrália

Graham Arnold no banco e os "cangurus" na fase final de um Mundial pela 6ª vez, pela 5ª vez consecutiva. Mas a conquista da classificação de um grupo, ele conseguiu apenas uma vez.Na Alemanha em 2006. Este ano ele pretende deslocar a Dinamarca e a Tunísia para seguir a França e nas fileiras estão Matt Leckie e Martin Boyle, Moy do Celtic, Hrustic do Verona e 2-3 boas costas. Não é grande coisa e será uma surpresa se ele conseguir. Decente, mas não tão longe.

GRUPO E':

Grupo aberto em várias versões. Ok, talvez Alemanha e Espanha sejam de longe as grandes favoritas para passar à próxima fase, mas nem a Costa Rica nem, claro, o Japão são quantidades insignificantes que se pode prejulgar de antemão que são incapazes de alcançar o grande resultado e trazer o grupo para cima e para baixo.

Espanha

Com 1 derrota nos últimos 10 jogos (e dois empates) a seleção ibérica chega ao Mundial e no banco a aguentar apesar das duras críticas, Luis Enrique. Um treinador que não conseguiu nada de bom com o Furias Rochas até agora. Por seu lado, porém, Fernando Torres foi adicionado à equipe técnica, talvez para equilibrar o Real Madrid e os catalães que lutavam pelas seleções de Enrique. A exclusão da equipe de Gerard Moreno, artilheiro da primeira divisão do ano passado e craque do Villarreal, já causou uma grande surpresa. Que pode sofrer com lesões, mas havia retornado à ativa há 15 dias. Na atual seleção, os primeiros violinos no ataque parecem ser para Enrique os sempre polêmicos Morata e Ferran Torres, enquanto no meio-campo se destacam os 34 Busquets e Rodri do Manchester City.

Alemanha

A Alemanha, quer comece como favorita, como candidata ao segundo escalão ou azarão absoluta, é sempre uma das equipas que os que conheço do futebol afirmam ser um pólo forte na batalha pela taça. Isso certamente está acontecendo este ano também, com a equipe de Hansi Flick sendo completamente surda, mas tendo em suas fileiras jogadores ou ninguém para jogar sozinhos. Como Gotze que pode parecer um veterano ao ouvido, mas tem apenas 30 anos. Ou Goretzka e Kimmich, entre os líderes e no Bayern, Havertz do Chelsea e o jogador Gundogan (City). Na defesa sempre há jogadores como Gunter, Sule, Rudiger e outros, nas traves Ter Stegen e Neuer são uma dupla de absoluto respeito, enquanto no ataque, apesar do azar de Timo Werner que também foi a primeira escolha para um atacante puro-sangue , sempre há sempre verde Miller, Gnabry, Sane e não subestime o jovem Adejemi.  

Costa Rica

A Costa Rica foi para a Copa do Mundo com Luis Fernando Suárez no banco, um técnico com uma rica carreira na América Latina e passagens pelo banco de Equador e Honduras, entre outros. E a Costa Rica conseguiu muito bem com apenas uma derrota e dois empates nos últimos 12 jogos, fosse quem fosse o adversário, por mais fraco que fosse. Sua estrela, ou pelo menos entre suas estrelas, é o goleiro Keylor Navas, ex-Real e agora do Paris, enquanto sempre no elenco estão as lendas vivas do futebol costarriquenho, Brian Ruiz (146/29 na seleção) e Celso Borges (155/27). E claro que no topo do ataque está Joel Campbell (119/25) que também foi transferido da Grécia e do Olympiakos em 2013-14.

Japão

Uma equipa que é um exemplo a seguir em termos de empenho, concentração e disciplina chega ao Mundial com o chefe do banco, Hazime Moriyyasu. Em 15 a 20 partidas, o Japão chegou a perder três vezes, vencendo, entre outros, adversários não totalmente impotentes, a exemplo dos EUA, Gana, Paraguai e Austrália nos últimos seis meses. E ela vai com sonhos para esta Copa do Mundo em que é segurada pela estrela de Mônaco, Takumi Minamino. O que os amigos do Japão souberam foi a chocante exclusão do superatacante do Celtic Kyoko Furuhashi do plantel, até porque não há muitas opções para o seu lugar e certamente não melhores do que as de Ueda (Circle Bridge) ou Masino (Sonan Belmare). Computer, é claro, vai justificar ou condenar a estratégia do federalista japonês, que já é fortemente contestada em casa,

SEXTO GRUPO 

A sempre promissora Bélgica, finalistas de 2018 Croácia, Afro-fantasy Marrocos e Canadá usurpando o principal cetro dos EUA na América do Norte formam um quarteto altamente competitivo.

Bélgica

Espera-se que Roberto Martinez jogue seu último grande torneio como internacional belga, não porque falhou, mas porque não falhou. E porque agora se fecha um ciclo na Bélgica após a Copa do Mundo e é dado como certo que qualquer renovação será feita pela federação do dia seguinte. O lateral Denager, os meio-campistas Salemaekers, Prae e os atacantes Benteke, Origi e Januzaj, entre outros, ficaram de fora. De qualquer forma, seus grandes canhões estão prontos para a batalha, tanto o virtuoso De Bruyne quanto os carismáticos Eden e Torgan Hazard, que também são cheios de força, Lukaku, Batshuayi e Martens ou Witzel, Carrasco e um dos principais laterais da Europa. Aldeweireld, Vertonghen , Meunier. No entanto, os resultados recentes não são exatamente animadores. Perdeu para Egito e Holanda e segue para o Catar sem amistoso.

Croácia

Zlatko Dalic tem uma carga pesada, leva seu time para a Copa do Mundo e o legado de 2018 é certamente útil, mas dificilmente esmagador. O que mudou na equipe desde então? Além do técnico federal que é ele mesmo, a seleção croata conta com o elenco de 18 como o líder virtuoso Modric, o lateral Lovren, o zagueiro central do AEK, Vida, os meias-atacantes Brozovic, Perisic e outros. Favorito dos poucos para qualificação sotis "16" mas a posição que vai ocupar e os cruzamentos vão mostrar onde pode chegar.

Marrocos

No banco está Valid Regragui e o capitão da equipa é o defesa bronze do Besiktas, Romain Saiss. Um time cheio de jogadores que jogam na Europa e tem uma posição de jogador a superestrela. Um exemplo típico é o medalhista de bronze do IEK, que deu uma olhada na Inglaterra e agora joga pelo Chelsea, assim como o excelente meio-campista da Fiorentina, Amrabad. Claro que o maior nome da atual composição do time não é outro senão o craque da primeira divisão, En Nesiri do Sevilla com 50/15 na seleção, ou ainda o lateral do Paris Saint-Germain, Hakimi! Única derrota nas últimas 15 partidas no tempo regulamentar, derrota por 3 a 0 para os EUA em amistoso em junho.

Canadá

Herdman é o técnico federal do Canadá e as esperanças de distinção são maiores do que nunca. Eles são justificados? Resta saber, porém, que os últimos amistosos e a imagem pré-Copa do Mundo apresentada pelo Canadá não são ideais. Em 15 jogos, são quatro derrotas, um empate e duas partidas canceladas. Você considera isso longe do ideal, mesmo que as vitórias incluam 2 a 0 contra os EUA.  A partir daí Curaçao e Qatar não são uma medida de comparação. Tem como protagonistas os avançados Larin, Cavallini e Afonso Davis, os médios Hutchinson e Osorio, mas também os laterais Adekoogbe, Johnston e o nosso,  Cornélio de Panaitolikos.

GRUPO G:

Um grupo de dois Brasis. O normal e o… europeu. Sérvia. Não era assim que costumavam chamar os iugoslavos? Brasileiros da Europa? O grupo é completado pelos sempre competitivos Camarões, uma das melhores seleções da África há décadas, além da melhor qualidade e capacidade da Suíça. Cachos estão previstos!

Brasil

 Com Tite no banco, um bando de jogadores não tão fantásticos, mas ideais, no elenco e Neymar esperançosamente no auge de sua carreira, os cariocas viajaram para o Oriente Médio com o sonho de voltar ao redil depois de exatamente 20 anos. Firmino (atacante 17 gols) e Coutinho (média, 21 gols) ficaram de fora da missão, como armas que não constavam dos planos estratégicos do técnico federal. O que significa que não existe problema sério no Brasil, que na ponta da lança certamente tem os atacantes em super forma Gabriel Jesus (Arsenal, 19 gols), Richarlison (Tottenham, 17 gols) e Neymar com seus 75 gols ameaçando o recorde de Pelé na seleção! O Brasil é extremamente forte no meio-campo, com o mais agressivo Vinny Junior, Rodrigo, e o mais contido Ribeiro Paquetas, Casemiro formando um formidável cinco. Mesmo na defesa, porém, Thiago Silva, Marquinhos, Militão e outros jogadores entendem muito de futebol, até mesmo Dani Alves, de 39 anos! Um recorde de 27-3 gols em 8 partidas em 2022 (7-1-0) não é por acaso.

Sérvia

Com uma boa presença coletiva, excelentes qualidades individuais e o inesquecível jogador reserva Dragan Stojkovic a merecer imenso respeito, a Sérvia regressa aos Mundiais com a esperança de conseguir algo de bom. Claro que o primeiro objetivo é sair do grupo, o que será particularmente fácil com os adversários que tem pela frente. Especialmente se ela não melhorar seu comportamento defensivo. Em nove jogos em 2022, ele tem um recorde de 5–1–2 e 19–9 gols contra. Não há derrota séria na Sérvia, cujo líder é, sem dúvida, o atacante Saša Mitrović e o jogador do Ajax Dusan Tadic. Ambos os jogadores mais perigosos do torneio e com seus torcedores  Jovic-Vlahovic de um lado, Milinkovic-Savic e Djuric-Kostic do outro. E nosso próprio Zivkovic (PAOK) também está na lista.

Camarões

Rigobert Song está no banco dos camaroneses e Sammy Eto'o está no comando da federação, por isso há sérias esperanças de que desta vez desentendimentos e problemas administrativos ou de outro tipo não acabem com as esperanças azuis dos "leões indomáveis " por um excelente percurso nesta Copa do Mundo. À disposição de Song violinos de primeira linha, claro, Tsuppo-Moting (19 gols) do Bayern e Toko Ekabi do Lyon (12 gols). Não há ausências graves, aposta mais no trabalho de equipa do que no talento individual como no passado.

Suíça

Zuber (AEK) e Botani, que ficaram de fora da missão devido a lesões, não alteram drasticamente os planos de Murati para aquele que viu com satisfação seus grandes astros serem colocados à sua disposição antes da Copa do Mundo. Antes de taxiar a todos, claro, o líder Tsaka e seu também dioskuro de origem kosovar, Sakiri. Com 30-31, eles querem o torneio perfeito mais do que nunca. E eles são ladeados por jogadores particularmente qualificados, como os atacantes Seferovic (25 gols) e Embolo (11 gols), ou os meio-campistas Djibril Shaw (Eintracht) e Remo Frouiller.

GRUPO E:

Alguns falaram quando o sorteio foi feito com probabilidades reduzidas para talvez exatamente quatro. No entanto, parece que Portugal tem uma vantagem clara e os outros três, Gana, Uruguai e Coreia do Sul, vão lutar por isso, com mais ou menos esperança, claro.

Portugal

O grupo todo é a ambição de Ronaldo de encerrar sua carreira com o maior sucesso que um jogador de futebol pode receber, conquistando o topo do mundo. Obviamente, ele mesmo não está na condição competitiva que gostaria, tem 37 anos, mas tem uma equipe completa para apoiá-lo. + 1 treinador que é como um pai e sabe tirar o melhor dele sempre. O Santos que todos adorávamos. Fernando Santos deixou Moutinho, agora com 36 anos, fora das opções, mas tem à sua disposição todas as cartas pesadas da sua equipa. De André Silva e Raf Leão ou João Félix na linha de ataque junto a CR7, a João Mário, Ruben Neves, Bernardo Silva no meio-campo. E Guerreiro, Menes, Cancelo atrás. E Rui Patrício nas traves. Portugal está cheio e pronto para superar isso.

Gana

Com Otto Ato no banco e o líder natural Jordan Agiou após seus 19 gols, Gana vai para a Copa do Mundo com ambições, mas também claramente com talvez o time mais propenso a erros e derrotas em décadas. Ele sempre tem Andrea Ayew e Thomas Partey no meio-campo, mas defensivamente sofre, assim como nas traves. E não é por acaso que seu histórico medíocre como ruim com apenas 3 vitórias em 14 partidas em 2022 (recorde de 3-5-6 com 13-19 gols).

Uruguai

Outrora o esteio do ataque, agora a pedra angular do banco, Diego Alonso leva o Uruguai à Copa do Mundo. equipe de envelhecimento,  muitos dizem. E como você pode culpá-los quando Suarez e Cavani estão agora com 36 anos, Vesino da Lazio está a caminho de 32 e  aos 37 o líder na defesa, Godin mas acima dos 30-32 e os Caseres, Coates que o flanqueiam ou os guarda-redes Sosa e Muslera! Este ano, porém, este Uruguai perdeu apenas um jogo. E aquele amistoso com muitas mudanças de 1 a 0 do Irã para a Áustria.

Coreia do Sul

A Coreia teve seu quinhão de vezes no futebol, mas não conquistou uma distinção séria na Copa do Mundo até agora. Algo que vai procurar alcançar este ano com o experiente português Paolo Bento no banco e Ou-Jo do Olympiakos como primeiro avançado (16 golos). O seu líder natural é o capitão, o médio Heong-Min do Tottenham (104/35 na seleção), mas também o outro olímpico, Huang (37/4). Muitos caras experientes e na defesa, mas sem atuações, exceto Min-Yahe, do Napoli.

 

Pr. Editorial

modelo...

A situação que foi criada no OFI é angustiante. Angustiante e triste de muitas maneiras, não importa para onde você olhe. E estamos falando especificamente sobre...

O outro lado da moeda …

Não sejamos exigentes. Esperar de cada grupo apenas o que ele potencialmente pode nos oferecer e não fazer exigências excessivas. Não...

O grande patirdi…

Em termos de futebol, a Grécia é o país onde até a pessoa mais racional e estóica do mundo pode enlouquecer. Não pode estar acontecendo...

Fechar contatos…

passa de longe

Favorito para beijar

Escolta certa de gols...

Nenhuma meta...

Na tela…

Tango para dois!

Fraco ofensivamente...

Vale cada risco...

16 jogos sem perder...

Não dá direitos ...

Vitória profissional…

Inscrição…

Abra uma conta agora na nova versão de assinatura do Tipsmaker sem pensar duas vezes, faça seus negócios fecharem com segurança uma posição permanente no site líder...